Você é autotélico?

Recentemente, conversando com um amigo, conheci o conceito de “autotelico”.

Autotélico

adjetivo
fil que não apresenta qualquer finalidade ou objetivo fora ou para além de si mesmo (p.ex., a arte pela arte).

Ou seja, o autotélico é aquele que faz o que faz sem estar necessariamente buscando um resultado ou um objetivo maior.

Exemplos:

  • Escrever pelo simples e puro prazer de escrever, não porque está treinando para seguir uma carreira jornalística ou para passar no vestibular.
  • Estudar uma língua pelo simples prazer de aprender, não porque isso é uma qualificação para seguir uma carreira, conseguir uma bolsa ou se mudar para o país que a língua é falada.
  • Criar programas de computador pelo simples praze rde programar, não porque espera conseguir um bom emprego na área de T.I. ou porque deseja construir um projeto específico.

O que define se você é autotélico está em qual é a sua motivação principal para fazer algo. Partindo deste princípio:

  • O autotélico pode sim atingir e usufruir dos resultados
  • O não-autotélico pode sentir prazer pelo processo necessário para atingir o resultado buscado

A questão está no foco da motivação. Você é motivado pelo processo ou pelo resultado?

Eu, particularmente, sou motivado por resultado. Tudo o que fiz ou faço na vida é buscando um resultado específico. Não encontrei absolutamente nada em que eu seja autotélico.

Gravei um vídeo falando sobre este tema:

Qual a utilidade de se reconhecer (ou não) como autotélico?

Se você é autotélico: Você ainda assim pode e deve buscar colher frutos do que você está fazendo. Se a sua paixão se tornar um trabalho, você beneficiará outras pessoas e criará condições para que você possa passar mais tempo praticando a atividade que sente prazer.

Se você não é autotélico: Quanto mais clareza em relação ao resultado buscado você tiver, mais motivado ficará para passar pelo processo. O ato de lembrar e visualizar o resultado trará uma injeção de motivação para dar os passos necessários para atingi-lo.